Domingo, 11 de Fevereiro de 2007

Eça de Queirós

    Eça de Queirós nasceu em 1845, filho de José Maria de Almeida Teixeira de Queirós e de Carolina Augusta Pereira de Eça. Passou a sua infância e adolescência na região do Minho e na Costa Nova, praia do distrito de Aveiro. Matriculou-se na Universidade de Coimbra, onde se formou em Direito, e exerceu magistratura em Lisboa. O facto de ter sido aluno e colega de alguns dos mais notáveis escritores do século XIX, como Ramalho Ortigão e Antero de Quental, marcou definitivamente o percurso literário de Eça de Queirós. Foi um dos protagonistas da Questão Coimbrã, contrapondo aos escritores ultra-românticos as suas ideologias sociais, que se fizeram sentir duramente nos romances e contos que escreveu. Não há dúvida de que ser realista, defendendo o positivismo e o naturalismo, é uma das características mais expressivas da obra queirosiana. Sabe-se contudo que, no final da vida, investe sobretudo em reflexões de carácter simbólico. A sua produção literária reparte-se entre romances e contos e uma colaboração assídua em vários jornais. Destaque-se ainda a criação da personagem literária – Fradique Mendes, em colaboração com Ramalho Ortigão, e a da Revista de Portugal, cuja publicação se estendeu entre 1889 e 1892.

    Eça de Queirós acreditava na capacidade de intervenção dos seus escritos, pelo que denunciava a corrupção e as consequências nefastas do progresso, de que o Homem e a sociedade usufruíam sem qualquer entrave. Também não se coibiu de denunciar, de forma nua e crua, as classes sociais que agiam de maneira aviltante perante os seus semelhantes. Escreveu em defesa do progresso e da civilização, criticando e valorizando aquilo que lhe parecia criticável e valorizável. Noutra fase, dos cenários urbanos passa para a vida psicológica das personagens, preferindo-a numa estratégia crítica aos excessos da Civilização.
    Embora todo o seu espólio literário seja digno de grande apreço, merecem-nos particular referência duas obras muito significativas que têm sido estudadas com grande proveito não só para a compreensão da época em que Eça viveu, mas também para o estudo do seu estilo tão peculiar: Os Maias, publicada em 1888, e a obra sobre a qual incidirá o nosso estudo - A Cidade e as Serras, de 1901.
    Eça faleceu em 1900, em Neuilly, na França, depois de uma vida marcada não só pelas suas obras literárias, mas também pela sua activa participação política, nomeadamente em Havana e Paris.
 
 
Algumas obras de Eça de Queirós e respectivas datas de publicação:
 
  • O Mistério da Estrada de Sinta (1870)
  • As Farpas (1871/1872)
  • “Singularidades de uma rapariga loira” (1874)
  • O Crime do Padre Amaro (1876)
  • O Primo Basílio (1878)
  • “No Moinho” (1880)
  • “Um poeta lírico” (1880)
  • O Mandarim (1880)
  • O mistério da estrada de Sintra (1884)
  • “Outro amável Milagre” (1885)
  • A Relíquia (1887)
  • Cartas de Fradique Mendes (1888)
  • Os Maias (1888)
  • Uma campanha alegre (1889)
  • “Civilização” (1892)
  • “Frei Genebro” (1893)
  • “O Tesouro” (1893)
  • “A Aia” (1894)
  • “O Defunto” (1896)
  • “Um Génio que era um Santo” (1896), In Memoriam de Antero de Quental
  • “A Perfeição” (1897)
  • “José Matias” (1897)
  • A Ilustre Casa de Ramires (1897)
  • “O Suave Milagre” (1898)
  • A Cidade e as Serras (1901)
  • A Capital (romance inacabado)
  • A Tragédia da Rua das Flores (romance inacabado)
  • Alves & Cª. (romance inacabado)
  • O Conde de Abranhos (romance inacabado)
  • Últimas páginas – manuscritos inéditos: “S. Cristóvão; “Sto Onofre; “S. Frei Gil”, Artigos diversos (Porto, Lello & Irmão, 1912)
Fontes:
 

FUNDAÇÃO EÇA DE QUEIROZ. Acedido em: 11, Fevereiro, 2007. Fundação Eça de Queiroz: http://www.feq.pt/cronologia.aspx

História da Literatura Portuguesa, Lisboa, editorial Presença, 1996, organização e direcção de Álvaro Manuel Machado
 
INSTITUTO PORTUGUÊS DO LIVRO E DAS BIBLIOTECAS. Acedido em: 3, Março, 2007. Eça de Queirós: http://www.iplb.pt/pls/diplb/!get_page?pageid=402&tpcontent=FA&idaut=1747898&tipo=&format=NP405
 
WIKIPÉDIA. Eça de Queiroz. Acedido em: 20, Fevereiro, 2007. Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/E%C3%A7a_de_Queiroz
 
INSTITUTO CAMÕES. Eça de Queirós. Acedido em: 3, Março, 2007. Instituto Camões: http://www.instituto-camoes.pt/cvc/literatura/eca.htm

sentimo-nos:
publicado por Daniel às 22:26
link | comentar | favorito
1 comentário:
De Teresa a 24 de Março de 2007 às 12:32
Olá.
qual foi o programa que utilizaram para fazer a cronologia?


Comentar post

.mais sobre nós

.pesquisar

 

.Abril 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Banner - Menção Honrosa (...

. Páginas de um percurso...

. Excerto da obra 'A Cidade...

. Eça em Caricatura no Port...

. Entrevista a Eça de Queir...

. Reportagem do Clã Mahatma...

. Entrevista a Eça de Queir...

. Eça de Queirós

. Clã Mahatma

. A Nossa Escola

.arquivos

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds